Tuesday, May 23, 2006

INDIGENTE

Triste mendigo, eu sei teu destino,
Pois sei que estás infeliz, doente.
O teu futuro? Sim, imagino:
Ser enterrado como indigente.

Triste mendigo, estás podre em vida
E estarás mais podre brevemente;
E a morte ri e já te convida:
Ser enterrado como indigente.

Triste mendigo, tu vais morrer,
Te tornarás podre lentamente;
É inevitável de acontecer:
Ser enterrado como indigente.

2 comments:

Danúbia Poch said...

Muito massa!!

Donan79 said...

Ele pode parar também em laboratório de anatomia qualquer,porque nao!?