Monday, May 22, 2006

ESCARRA NESSA BOCA QUE TE BEIJA


Eu cheguei e abracei minha querida
Mesmo tendo um ataque de pigarro;
Sem querer, eu soltei um grosso escarro
Que molhou sua face enlanguescida.

Ela lambeu meu cuspe, enlouquecida;
Retribuiu o carinho tão bizarro:
Cuspiu em minha boca o seu catarro
E eu engoli a pútrida bebida.

Na tremenda vontade de beber,
Bebemos o catarro com prazer
Nessa sede infernal que nos almeja;

Com catarro na boca, eu encho o busto
E, assim, parafraseio o mestre Augusto:
"Escarra nessa boca que te beija!"

5 comments:

Catarina Corso said...

Vc é o cara 8D

Bad Moon Rising said...

Vc é demais!

Wagner said...
This comment has been removed by the author.
Wagner said...

tens problema neh? kkkkkkkkkk

william duarte said...

Wagner, problemas tem quem é analfabeto e não sabe o significado do termo "eu lírico" em teoria da literatura.